19 Setembro, 2021

Nação Portista

A vencer desde 1893

Toni Martínez: “Quero muito ser campeão aqui”

Toni Martínez é o destaque maior na edição de junho da revista Dragões.

Uma época muito positiva ao serviço do Famalicão, na qual marcou 14 golos, foi o suficiente para despertar o interesse do FC Porto e iniciar uma ligação que estava destinada a dar certo. Pouco menos de um ano depois de se ter juntado àquele que considera ser “o maior clube de Portugal”, Toni Martínez concedeu uma extensa entrevista à edição de junho da revista Dragões, na qual não deixou nada por dizer.

“Em relação a esse dia, não posso recordar outra coisa que não seja a felicidade que senti. Por mim, pela minha família e por todos os meus amigos que sabiam o quanto tinha trabalhado para viver esse momento. Esse dia, como costumam dizer, é quase só para ti, com a chegada ao estádio, a assinatura do contrato, as fotografias… Estar ali com o presidente é ter a certeza de que o sonho se tornou realidade. Foi sem dúvida um dos dias mais felizes da minha vida”, começa por dizer o avançado espanhol, que no dia 30 deste mês celebra 24 anos, revivendo o momento em que se tornou oficialmente jogador do FC Porto.

Ter conhecido a “referência” Iker Casillas e partilhar o balneário com a “lenda” Pepe é algo de extraordinário, mas jogar a Liga dos Campeões foi “um sonho de miúdo” concretizado por Toni Martínez, que só tem elogios para a campanha dos Dragões na mais importante competição de clubes do mundo: “Acho que fizemos uma época brilhante na Liga dos Campeões e que merecíamos mais”, sublinhou o avançado espanhol da única equipa que conseguiu travar os finalistas Manchester City e Chelsea no caminho para o jogo decisivo disputado no Estádio do Dragão no passado dia 29 de maio. O campeão europeu Chelsea só perdeu um jogo em toda a Liga dos Campeões: foi frente ao FC Porto.

A edição número 415 da revista Dragões não se esgota na primeira grande entrevista de Toni Martínez desde que se tornou jogador do FC Porto, pois também há espaço para recordar o filme de uma época fértil em privações, provações e provocações, na qual se destaca a conquista da Supertaça Cândido de Oliveira e a 25.ª qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões, registo no qual o FC Porto só é batido por Barcelona e Real Madrid, ambos com 26. Ora, por falar em Liga dos Campeões, a final da edição 2020/21, entre Manchester City e Chelsea, teve como palco o Estádio do Dragão e deu 14.110 razões para o Governo corar de vergonha. Foi o jogo que marcou o regresso de público aos eventos desportivos em Portugal.

A partir daqui, entram em campo as modalidades do FC Porto e não há como não fazer uma vénia à forma como a equipa de andebol conquistou o título nacional. Mais do que a superioridade esmagadora demonstrada em campo e sustentada numa série de vitórias sem igual, o coletivo comandado por Magnus Andersson reagiu de forma heroica à morte de Alfredo Quintana, um dos melhores guarda-redes do mundo e uma figura ímpar na história do clube, amada e respeitada por toda a Nação Porto. Foi simplesmente extraordinário aquilo que a equipa de andebol do FC Porto fez em 2020/21, dando um significado especial à conquista do título nacional, não esquecendo também as grandes exibições na elite da Europa.

João Rodrigues, o algarvio que triunfou na mais recente edição da Volta ao Algarve, é dos muitos ciclistas de qualidade inequívoca que representam e honram as cores da W52-FC Porto por essas estradas fora, tal como o faz a AJM/FC Porto nos pavilhões nacionais. Nesta edição de junho da revista Dragões, Rui Moreira, o treinador da equipa campeã nacional de voleibol feminino, recorda dois anos incríveis desde a criação do projeto e os quatro troféus conquistados em seis possíveis durante este período. Mesmo perante estes sucessos, Rui Moreira deixa uma garantia: “Ainda não temos o plantel todo fechado, mas, se conseguirmos seguir a linha que temos vindo a seguir até agora, vamos ter um plantel ainda mais forte e mais competitivo do que o deste ano”.

A edição número 415 da revista Dragões chegará, brevemente, às FC Porto Stores. Até lá, encontra-se disponível na sua versão digital. É fácil e gratuito.

Fonte: fcporto.pt