Get a site

Pinto da Costa recorda Reinaldo Teles e diz: “É o pior dos prejuízos que pode haver”

Presidente do FC Porto em entrevista aos meios do clube, sobre a pandemia de Covid-19.

Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, em entrevista aos meios oficiais do clube, falou sobre como é viver em plena pandemia de Covid-19, garantindo que não vai “deixar de viver por ter medo de morrer”.

“Tenho feito com todas as cautelas a minha vida no dia a dia. No trabalho nunca deixei de vir, de assumir as minhas responsabilidades, nunca deixei de acompanhar as nossas equipas em qualquer circunstância, naturalmente que correndo os riscos mínimos, mas tendo sempre o maior cuidado, usando sempre a máscara, mantendo as distâncias”, começou por dizer.

“Mas não vou deixar de viver por ter medo de morrer, senão não morro mas também não vivo, que é a mesma coisa”, continuou o líder portista.

“Há um ano isto era impensável para toda a gente. Uma guerra pode parar e destruir parte do mundo e qualquer um admite que isso possa acontecer, mas isto era impensável. Foi uma tristeza, sobretudo ter causado tantas mortes, em Portugal creio que são mais de 16 mil pessoas que faleceram fruto disso”, disse ainda.

“Muita coisa mudou, infelizmente e esta pandemia teve resultados péssimos para o Mundo. O FC Porto não foi exceção, causou imensos prejuízos. O pior todos são as mortes que causou na família portista, salientando em primeiro lugar, o Reinaldo Teles, vítima desta terrível doença e deste vírus maldito. E muitos outros portistas, alguns meus amigos. Essa é incalculavelmente a maior perda e o pior dos prejuízos que pode haver”, concluiu.

Fonte: ojogo.pt