Get a site

Três foi a conta que o Dragão fez (1-3)

Na viagem a Tondela, o líder do campeonato trouxe três preciosos pontos na bagagem com uma vitória suada, mas merecida, por 3-1.

Ciente da responsabilidade que liderar com um só objetivo acarreta, o FC Porto foi até Tondela alcançar a quarta vitória consecutiva e juntar mais três pontos à sua contagem na presente edição do campeonato. Três foram também os golos portistas na Beira Alta, todos conseguidos na etapa complementar. Danilo abriu, Marega dilatou e Fábio Vieira fechou. Pelo meio, o Tondela beneficiou de um penálti e a importante dupla Tecatito Corona/Matheus Uribe foi excluída da receção ao Sporting, na próxima ronda da Liga NOS. Os Dragões saem da 31.ª jornada, no Estádio João Cardoso, com a sensação de dever cumprido e a saber que estão a um empate de alcançar a tão desejada meta.

O quarto jogo antes do término do campeonato era mais uma autêntica final e o FC Porto entrou encarando-o como tal. Logo à dúzia de minutos, os azuis e brancos dispuseram da melhor chance do primeiro tempo. Corona trabalhou sobre a esquerda, cruzou à medida de Moussa Marega e o maliano, tendo cabeceado com a força e pontaria certas, viu o golo ser-lhe negado pela palma da luva de Babacar Niasse. O guardião do Tondela conseguiu ainda impedir a recarga de Soares com um alívio providencial. Aos 26’, o senegalês voltou a negar golo a um africano dos Dragões. Após livre de Sérgio Oliveira, o guarda-redes soca a bola para o flanco oposto e Mbemba, num cruzamento-remate, atira ao ângulo. Contudo, o gigante Niasse, de 1,95 metros, agarrou com segurança. Até ao intervalo, duas más notícias para Sérgio Conceição. A dez minutos do descanso, após choque com João Pedro, Sérgio Oliveira lesionou-se na coxa direita e teve de ser substituído. Nos derradeiros cinco minutos do tempo inaugural, Fábio Veríssimo admoestou Tecatito Corona com a cartolina amarela que retira o mexicano da receção ao Sporting na próxima jornada.

Como tem sido hábito, o descanso fez bem aos portistas. Ao segundo minuto da segunda parte, num canto cobrado por Alex Telles, o capitão Danilo – que entrou para o lugar de Sérgio Oliveira – apareceu ao primeiro poste e cabeceou afirmativamente para o fundo das redes dos beirões. Estava aberto o marcador, favorável aos visitantes, no habitualmente complicado Estádio João Cardoso. Quinze minutos depois, Marega veio até ao meio campo portista mostrar como se recupera uma bola. O esférico chegou aos pés de Corona, que devolveu a gentileza ao camisola 11 e, na vigésima assistência da temporada, voltou a repetir a combinação vencedora. No um para um com o guarda-redes auriverde, Marega preferiu o jeito à força e finalizou exemplarmente. Mesmo com 2-0, o jogo estava longe de terminado. Sérgio Conceição retirou o já amarelado Alex Telles, e Soares também, deslocou Manafá para a esquerda e Tecatito para a lateral direita da defesa, e fez entrar Fábio Vieira e Luis Díaz para o lugar da dupla brasileira. Nos últimos vinte minutos da partida, ação não faltou. Matheus Uribe viu o seu quinto amarelo na Liga NOS, e no minuto seguinte cometeu falta no limite da área sobre Jonathan Toro. Na cobrança do penálti, Marchesín adivinhou o lado escolhido por Ronan mas não conseguiu conseguiu defender e impedir o 1-2. Quem também ficou a centímetros do esférico foi Luis Díaz: após centro de Corona pela direita, o colombiano esticou-se mas acertou nas “orelhas” da bola. Para os derradeiros cinco minutos, Sérgio Conceição retirou Uribe, lançou Diogo Leite com o objetivo de reforçar o eixo defensivo da sua equipa, mas Marche voltou a ser chamado e, com o pé direito, segurou a vantagem portista. No período de descontos, Marega foi carregado na área tondelense por Philipe Sampaio. Fábio Veríssimo tomou o seu tempo, teve de ser chamado à atenção pelo VAR e, só depois de ver, e rever, as imagens, apontou para a marca dos onze metros. Aí, Fábio Vieira mostrou a frieza e maturidade de um veterano e mostrou como se bate um penálti. Mais três golos, e três pontos, para o emblema da Invicta, que tem agora um trio de jornadas para alcançar o grande objetivo da temporada.

Fonte: fcporto.pt