Sérgio Conceição: “Temos de justificar o historial do FC Porto nas competições europeias”

Sérgio Conceição perspetivou a receção de quinta-feira ao Young Boys (20h00), para a primeira jornada do Grupo G da Liga Europa.

Sérgio Conceição fez nesta quarta-feira a antevisão da receção ao BSC Young Boys, referente à primeira jornada do Grupo G da Liga Europa. Em conferência de imprensa realizada no Estádio do Dragão, o treinador do FC Porto falou sobre o duelo com a equipa suíça, agendado para as 20h00 de quinta-feira (Sport TV 1).

Entrar em todas as competições para vencer
“Os objetivos do FC Porto passam sempre por vencer todas as competições em que entra e esta não foge à regra. Para chegar longe na Liga Europa temos de começar já amanhã a ganhar. Amanhã defrontamos o bicampeão suíço, uma equipa difícil, olhando e conhecendo aquilo que são os jogadores do Young Boys, que varia muito e muda várias vezes dentro do próprio jogo. Estamos preparados e precavidos para o que serão essas nuances no jogo. Temos de olhar para aquilo que é o nosso jogo, para justificar aquilo que é o historial do FC Porto nas competições europeias.”

Os jogos ganham-se dentro de campo
“Teoricamente, somos mais fortes que o rival de amanhã, essa diferença existe mas isso tem de ser provado e comprovado dos 90 minutos, ou 180 minutos, incluindo o jogo de lá. Os jogos ganham-se dentro de campo. Estamos à espera de um adversário difícil amanhã.”

A situação física de Zé Luís
“Zé Luís já estava condicionado antes do jogo de Portimão, conseguimos que estivesse operacional para o jogo, amanhã veremos o que vai acontecer.”

Sobre Nakajima
“O que falamos são conversas nossas, ele em japonês e eu em português, não é fácil, mas tentamos comunicar, por isso é que ele está a ter aulas de português. Vocês sabem da minha exigência, da minha entrega, da minha dedicação a 1000 por cento a este clube. Não me peçam para ter uma reação que não seja emotiva depois de uma vitória aos 90 mais 8 minutos. Não basta ter contrato com o FC Porto, é preciso senti-lo. Seja o Nakajima, o Sérgio Conceição ou qualquer outra pessoa. Para representar esta casa há caraterísticas que têm de estar presentes diariamente. Depois, errar todos erramos, e eu sou o primeiro a errar.”

A preparação para o jogo
“Preparamos os jogos de acordo com aquilo que é a estratégia para o jogo, do que é o adversário e do que é o momento de forma dos jogadores. Estamos a meio de setembro, estamos a formar um grupo e uma equipa fortes. É natural que os melhores joguem neste jogo. Domingo temos jogo com o Santa Clara, depois quarta-feira para a Taça da Liga novamente com o Santa Clara. Veremos a cada jogo quais serão as opções.”

O que fica na história dos clubes
“O principal objetivo é o campeonato mas entramos em todas as competições para ganhar. É isso que este clube tem feito ao longo dos anos: entrar para ganhar, ganhar jogos e ganhar títulos. É isso que fica na história dos clubes.”

A motivação para a Liga Europa
“A motivação é representar um clube histórico como o FC Porto, como disse o Matheus Uribe. É essa a motivação principal, representar um clube histórico, representar o FC Porto e ter de ganhar as competições em que está inserido. Por vezes é melhor ir longe e lutar por uma Liga Europa do que ser eliminado na fase de grupos da Liga dos Campeões.”

Sobre uma alegada fragilidade emocional
“Fragilidade emocional? Vou dar um exemplo: ir à Luz e ganhar 2-0, depois de ter começado mal o campeonato e de termos sido eliminados da Champions. É evidente que há situações em que temos de melhorar e se calhar naquilo que o Young Boys é mais forte. Estamos ali muitas horas a trabalhar em cima do que a equipa precisa de melhorar. Obviamente que pensamos, olhamos e trabalhamos em cima desses erros.”

Fonte: fcporto.pt