Sérgio Conceição: “O FC Porto tem de ser igual a si próprio”

Sérgio Conceição projetou o Belenenses SAD-FC Porto, da 13.ª jornada da Liga NOS (domingo, 20h00).

Após o triunfo da última quinta-feira na Taça da Liga, em Lisboa, frente ao Casa Pia (3-0), o FC Porto volta ao campeonato e volta a jogar fora de casa. Antevendo o duelo de amanhã com o Belenenses SAD (20h00), no Estádio do Jamor, relativo à 13.ª jornada da Liga NOS, Sérgio Conceição disse estar à espera de “um jogo historicamente difícil” e deixou claro que os Dragões têm de manter-se fiéis à sua identidade para arrecadar mais uma vitória.

Expectativas para o jogo
“Espera-nos um jogo historicamente difícil. O Belenenses tem sido uma equipa à imagem do seu treinador. Estudámos o adversário. E o FC Porto tem de ser igual a si próprio, com e sem bola. Temos de ser fortes para conseguirmos os três pontos, é esse o nosso objetivo”.

Pressionado pelo Benfica?
“O FC Porto entra em campo pressionado pelo jogo e por representar um grande clube, em que é obrigatório ganhar”.

Nível atual da equipa é o melhor em Portugal?
“Nós jogamos sempre o suficiente para ganhar os três pontos em cada jogo”.

Críticas de Jorge Nuno Pinto da Costa ao VAR no Boavista-Benfica
“Não ouvi ainda essas palavras. Subscrevo sempre o que o nosso presidente diz. É o presidente mais titulado do mundo e se ele fala em algo é porque tem fortes razões para o fazer”.

Gestão física do plantel
“Nós olhamos para cada competição atendendo à sua importância e o próximo jogo é sempre o mais importante. Não haverá qualquer tipo de gestão. Amanhã vão entrar em campo os onze jogadores que me dão mais garantias, em função da estratégia para o jogo e também do adversário, embora tenhamos de olhar sobretudo para nós e para onde queremos levar a partida. Claro que teremos em atenção o Belenenses, uma equipa com bons princípios, com e sem bola”.

Dificuldades tradicionais na casa do Belenenses
“Os jogos com o Belenenses são sempre difíceis para qualquer equipa. Aqui na época passada tivemos uma vitória complicada, mas muito saborosa. Contra nós, talvez por sermos uma equipa extremamente competitiva, os adversários preparam-se especialmente bem, são muito agressivos e dão muita luta. Há dois anos, não conseguimos ganhar no Restelo, mas talvez tenha sido o jogo mais importante para a conquista do título nessa época. O relvado do Jamor tem alguns anos, mas é o que temos, infelizmente. Estava habituado a ver o Belenenses jogar no Restelo, mas não quero entrar em polémicas por causa do diferendo entre o clube e a SAD, até porque tenho uma boa relação com o atual presidente. Mas toda a gente percebe que o futebol português beneficiaria muito mais de um cenário com o histórico Belenenses. Seja como for, estamos só focados nos três pontos”.

Mercado de janeiro à porta
“Os meus reforços são os jogadores que compõem o plantel neste momento. Não é o momento ideal para falar do mercado, mas abro uma exceção este ano para dizer que o plantel é extremamente equilibrado e tenho soluções. Não necessitamos de mais ninguém para sermos competitivos em todas as competições até ao final da época”.

Título mundial da Seleção Portuguesa de futebol de praia
“Aproveito para mandar um abraço à seleção de futebol de praia, ao staff técnico, aos dirigentes, aos jogadores. Tive oportunidade de ver a final contra a Itália e emocionei-me com a despedida do Madjer. Há uns anos não se dava muito por esta modalidade e eu, que adoro verdadeiramente o meu país, fiquei contente com o título. A nós o que nos interessa é a nossa praia e o jogo de amanhã no Jamor”.

Fonte: fcporto.pt