Sérgio Conceição: “Demos uma resposta importante e de missão cumprida”

Sérgio Conceição elogiou a “tranquilidade” imposta pelo FC Porto na segunda parte, que permitiu aos azuis e brancos conquistar o triunfo frente ao Gil Vicente (2-1).

A vitória do FC Porto por 2-1 na receção ao Gil Vicente foi um triunfo “justo” e importante, para ultrapassar a derrota na final da Taça da Liga, troféu que os Dragões queriam “dar aos adeptos”. Na análise ao jogo, Sérgio Conceição realçou a exibição dos portistas na segunda parte, que permitiu conquistar mais três pontos na luta “pelo principal objetivo” da época.

O resumo do jogo
“Não podes esquecer o contexto deste jogo. Perdemos a final da Taça da Liga no último segundo e tínhamos expectativas muito grandes para dar esse troféu aos nossos adeptos, um troféu que falta ao nosso Museu. Este contexto ficou demonstrado na primeira parte, porque se tivéssemos alguma da tranquilidade que tivemos na segunda parte, teríamos feito dois ou três golos na primeira. É compreensível, os jogadores são humanos, são miúdos que querem muito ganhar e que sentem a frustração de uma derrota que nos impossibilitou de conquistar uma competição. Tudo aquilo que se possa fazer em termos motivacionais não é suficiente. Falhámos passes na primeira parte que não costumamos falhar, tivemos algumas situações na cara do guarda-redes em que não marcámos, situações essas em que costumamos ser mais eficazes. Sofremos um golo talvez no único remate enquadrado com a baliza na primeira parte, perante uma equipa que sempre se mostrou equilibrada desde o apito inicial, organizada defensivamente e a respeitar os ataques rápidos para tentar ferir a nossa equipa. Conseguimos reagir imediatamente e na segunda parte estivemos mais sólidos e tranquilos, o que nos possibilitou fazer o golo da vitória. Podíamos ter definido melhor e conseguir mais um ou outro golo, mas o resultado é justo, não há qualquer dúvida.”

A união de grupo
“Qual é o clube que quer ganhar e que não necessita que todos estejam unidos e a remar para o mesmo lado? Faz parte do futebol e destas grandíssimas instituições, que vivem de títulos. O mais importante é que vencemos, demos uma resposta importante e de missão cumprida, depois de uma derrota difícil. Agora apenas pensamos no próximo jogo do campeonato, neste que é o nosso principal objetivo.”

As lesões
“Além das dificuldades dos próximos jogos, temos tido alguns jogadores com problemas físicos. O Nakajima, o Pepe e o Zé Luís já estavam de fora, juntou-se depois o Danilo e o Otávio, que estava castigado. São cinco jogadores importantes, como são todos os outros. Hoje, no aquecimento, o Aboubakar sentiu algum desconforto no joelho, que o impediu de dar o contributo à equipa, se assim fosse necessário. É o quadro que temos. Normalmente, não me costumo queixar dos jogadores que não estão disponíveis, mas sim realçar todos os que estão disponíveis.”

A integração dos jovens
“Eles merecem. Estou atento aos jogadores da nossa equipa B e da formação. Não comando a equipa B nem os Sub-19, quem comanda são os treinadores dessas equipas, seguidos do diretor para a formação, o diretor para o futebol e, acima, está o presidente. Como treinador da equipa principal, estou atento aos valores dessas equipas, que estão sempre disponíveis para integrar a equipa principal.”

Fonte: fcporto.pt