Get a site

Pinto da Costa diz que Lage foi “destratado na própria casa” e elogia Conceição

Presidente do FC Porto teceu elogios à postura do treinador do FC Porto.

Ainda antes de estar consumada a saída de Bruno Lage do comando técnico do Benfica, Sérgio Conceição abordou o tema e revelou “não gostar” da forma como o treinador rival foi tratado.

“Não gosto da forma como está ser discutido Bruno Lage, não gosto. Mas faz parte deste mediatismo todo do futebol. Não gosto de ver um colega de profissão, seja quem for – o Lage, o Pepa, o Manta – a ser assim tratado. São treinadores e meus colegas de profissão”, assinalou Conceição antes do jogo entre o FC Porto e o Paços de Ferreira.

Ora, esta quarta-feira, na mais recente edição da revista “Dragões”, Pinto da Costa enalteceu a postura do técnico azul e branco, considerando que Lage foi “destratado na própria casa”.

“Uma das garantias de que o FC Porto pode mesmo chegar aonde quer é, como já disse muitas vezes, o Sérgio Conceição. Ele tem 45 anos, mas eu já o conheço há mais de 30. É um profissional de excelência, que tem como uma das principais qualidades a enorme exigência que coloca em tudo o que faz. Exige muito dos outros, mas ainda exige mais dele próprio. E é assim como treinador, tal como foi enquanto jogador”, começa por referir o presidente portista, prosseguindo:

“Mas há outra faceta que poucas vezes é destacada, até porque o perfil de um portista com sucesso e que não costuma esconder o que lhe vai na cabeça agrada pouco à imprensa que nos odeia: o Sérgio é, acima de tudo, um grande ser humano. E voltou a demonstrá-lo recentemente, quando expressou em público a indignação que sentia pela forma como foi destratado na própria casa um colega de profissão, mesmo sendo um rival com o qual estava a disputar duas competições. E fez muito bem, porque uma coisa é certa: é normal, no futebol, que por vezes as pessoas cheguem à conclusão de que é melhor para as duas partes seguirem caminhos diferentes; mas não é aceitável que profissionais sérios sejam usados como bodes expiatórios de
quem precisa de se salvar e coloca sempre os interesses pessoais à frente dos interesses coletivos”, atira Pinto da Costa, no texto que habitualmente assina na publicação do clube da Invicta.

Fonte: ojogo.pt