Get a site

“O nosso objetivo é ir lá e conquistar os três pontos”

Sérgio Conceição projetou o SC Braga-FC Porto, da 34.ª e última jornada da Liga NOS (sábado, 21h15).

A 34.ª e derradeira jornada do campeonato vai levar o FC Porto até ao Estádio Municipal de Braga, onde defronta o SC Braga (sábado, 21h15, Sport TV), ainda com aspirações em chegar ao terceiro lugar. Sérgio Conceição espera um adversário forte e com a motivação em alta, mas os campeões nacionais não vão ao Minho para passear. O pensamento está em somar mais uma vitória e atingir a marca dos 85 pontos no campeonato, a mesma da época passada. À entrada para esta ronda, o campeão nacional FC Porto totaliza 82 pontos, mais oito do que o Benfica, segundo classificado. O SC Braga, por sua vez, ocupa a quarta posição, com 57 pontos, menos três do que o Sporting.

Mais um jogo de campeonato
“Esperamos mais um jogo de campeonato contra uma equipa que nos últimos anos tem feito excelentes prestações. Obviamente que é sempre um campo difícil de se jogar, mas a preparação para o jogo não mudou em absolutamente nada, foi feita como em todas as outras jornadas do campeonato. Olhamos para o adversário, para os pontos fortes e menos fortes, e delineamos e definimos a nossa estratégia. O nosso objetivo é ir lá e conquistar os três pontos.”

O SC Braga sob o comando de Artur Jorge
“Há coisas diferentes. No último jogo, inclusive, jogou em 4-4-2, com dois avançados puros. Acredito que contra nós isso não vai acontecer. Estamos preparados para o que vamos encontrar. Naquilo que é a dinâmica de jogo, há uma ou outra situação que são diferentes, mas também conhecemos as características dos jogadores. É uma equipa conhecida e sabemos que há situações a que temos de estar atentos. Espero um SC Braga forte e com a tal motivação de tentar conseguir algo que o clube quer muito, que é ficar no pódio do campeonato. Mas temos de olhar para nós e preparar o jogo da melhor forma para vencer.”

As derrotas no Dragão e na final da Taça da Liga
“Os jogos são todos diferentes. O jogo do campeonato e da final da Taça da Liga foram diferentes e este também será. O que tem de nos motivar e de estar na nossa cabeça é o trabalho diário e a preparação para o jogo. Vamos encontrar dificuldades diferentes, mas também depende do que fizermos no jogo. Tem a ver com a forma como estivermos em campo, mas sabemos tudo o que é o nosso ADN. Muito daquilo que o adversário fizer tem a ver com a forma como estivermos em campo. Cada jogo tem a sua vida e a sua história.”

A pressão de ganhar
“Quem está nestas equipas, tem sempre pressão para ganhar. O SC Braga precisa de ganhar para conseguir o terceiro lugar, mas isso não nos diz respeito. Representamos um clube histórico e todos os dias em que entramos aqui temos o compromisso de dar o máximo. Para nós é importante a conquista dos três pontos.”

A final da Taça de Portugal fica para depois
“Os ensaios que se vão fazer são depois do jogo com o SC Braga. A estratégia vai ser definida em função desse jogo que temos na próxima semana, mas o jogo mais importante neste momento é com o SC Braga. Ninguém prepara dois jogos ao mesmo tempo. Pode haver lesões e castigos e isso já muda o que será o próximo jogo. ”

O símbolo de campeão no equipamento
“É bonito e é fruto de muito trabalho durante uma época bem longa e difícil para toda a gente. Demos o máximo para ter o símbolo de campeão nacional na camisola e é um gosto tremendo.”

Sérgio Oliveira a recuperar
“Está bem melhor e até poderá entrar já nesta convocatória, mas cada hora que passa é importante. Marcano está fora e é um jogador importante. Há mais um ou outro jogador em dúvida, mas depois passaremos essa informação.”

Um título que é de muitos
“Não gosto de elogios, sem demagogia ou hipocrisia. Há muita gente importante neste título que ninguém vê e conhece. O treinador está sempre na berlinda, mas é mais do que merecido falar no nosso presidente, a pessoa mais importante do clube há muitos anos. Sou apenas um trabalhador como tantos outros, mas apareço mais e sou mais mediático. Há tanta gente que teve um peso tão grande nesta conquista… A começar no tratador da relva, pois sou chato com a altura da relva ou se há uma mancha ou outra. Também há o Departamento de Saúde, o Departamento de Comunicação, etc. É injusto dar o mérito a uma só pessoa e eu não o quero.”

O melhor jogador do campeonato foi o FC Porto
“O melhor jogador do campeonato foi o FC Porto. Um dia foi o Corona, noutro o Alex, etc, mas muitas vezes o MVP Liga Portugal não é o mesmo que o MVP Porto. Eu escolhia sempre jogadores diferentes do que são escolhidos, mas isso sou eu. Há jogadores menos espetaculares mas que são muito importantes para a equipa. Para mim, a equipa do FC Porto foi o melhor jogador do campeonato.”

Números que falam por si
“O grito funciona durante uma semana e eu estou aqui há três anos. Se as pessoas não forem competentes e não houver qualidade, não há milagres. O que conta é a qualidade do trabalho a todos os níveis, uma equipa técnica sólida e competente, tal como todos os departamentos que a acompanham. Não tenho por hábito armar-me em treinador, mas tenho todo o gosto em falar de futebol e não do futebol. Muitas vezes não é o homem que marca o golo, mas sim todo o trabalho da equipa até chegar ao golo. Os números e os resultados falam por si.”

O mercado de transferências não entra no Olival
“Nesta altura recebo sempre muitas mensagens sobre jogadores. Como em tudo na vida, também há empresários e agentes bons e menos bons. Não vale a pena mandarem mensagens até à final da Taça de Portugal, pois não olho para jogadores, para contratos, para absolutamente nada. Temos mais dois jogos para fazer e para ganhar. Não falei nada com ninguém, nem com o presidente nem com Luís Gonçalves.”

Fonte: fcporto.pt