Nuno Rodrigues: «Proíba-se as claques de alto risco de estarem presentes»

Presidente do Lusitano anuncia autocarros grátis para deslocação a Lisboa e pede ao IPDJ para tomar medidas que viabilizem os jogos em cidades com equipas de menores recursos.

A mágoa de não poder jogar em Évora ainda não saiu da mente dos dirigentes e adeptos do Lusitano. O emblema alentejano teve de mudar o jogo para Lisboa, defrontando o FC Porto, sexta-feira, no Estádio do Restelo, por falta de condições do Campo Estrela.

A Bola Branca, Nuno Rodrigues, presidente do clube eborense, começa por dar uma boa notícia anunciando que Câmara Municipal, Rodoviária do Alentejo e Lusitano chegaram a acordo para que aqueles que pretendam assistir ao jogo na capital portuguesa possam deslocar-se de forma gratuita.

“Haverá autocarros à discrição, o que é muito bom. Vamos tentar que o apoio seja significativo”, começa por garantir o dirigente.

O problema dos adeptos de alto risco

O presidente do Lusitano não esquece, no entanto, os motivos que obrigaram a uma deslocação de mais de 130 quilómetros para defrontar o FC Porto, quando o deveriam fazer no seu estádio.

Nuno Rodrigues fala dos problemas mais “graves que existem no futebol português”, como é o caso da violência. O líder do emblema de Évora sugere ao Instituto Português do Desporto e Juventude que mude as regras e é explícito no pedido sem com isso culpar directamente o FC Porto.

“Paga o justo pelo pecador, ou seja, o justo somos nós. Temos uma claque tranquila, acabamos por não poder jogar no nosso estádio, no nosso Alentejo, onde não haveria problemas nenhuns, porque outros clubes têm claques mais complicadas. É pena, espero que o IPDJ , se calhar era um solução mais inteligente nestes jogos, em vez de considerá-los de alto risco, proíbe-se as claques que são de alto risco de estarem presentes”, sugere.

Nuno Rodrigues desabafa, mas já rendido, que dessa forma “não se estragaria a festa do futebol”. A actual regulamentação impede “toda uma região” de fazer algo que já não se fazia há mais de 51 anos e que “continuará a não ser feita”.

O Lusitano-FC Porto, a contar para a 3.ª eliminatória da Taça, é esta sexta-feira, às 20h15, no Restelo.

Fonte: rr.sapo.pt