Janela de oportunidade abre-se para Soares e Óliver

Encontro com o Besiktas, a 13 de Setembro, foi a última vez em que ambos foram titulares. Desde então, o somatório dos minutos de um e de outro não chega para completar uma parte.

A deslocação do FC Porto ao Restelo, para defrontar o Lusitano de Évora, perspectiva-se como uma oportunidade de ouro para Óliver Torres e Tiquinho Soares subirem uns furos na confiança de Sérgio Conceição. A dupla fez parte do primeiro onze oficial da temporada dos azuis e brancos, frente ao Estoril, para o campeonato, mas por razões distintas chega a esta fase da época como suplente. De resto, o somatório dos minutos que os dois jogadores alinharam nos últimos quatro encontros não chega sequer para completar uma parte. A Taça de Portugal, contudo, poderá servir de rampa de lançamento para o médio e o avançado, que já contribuíram com acções decisivas para triunfos obtidos pelos portistas: o primeiro com três assistências, o segundo com um golo e uma oferta.

Curiosamente, a última vez que Óliver e Soares surgiram no onze foi no mesmo jogo: com o Besiktas. No entanto, a derrota coletiva, conjugada com exibições individuais menos conseguidas, fizeram os dois caírem das opções de Conceição. Entre os dois, o médio de 22 anos acabou por ser a maior vítima, uma vez que até aí havia sido titular em todos os encontros. Aliás, no anterior, com o Chaves, até havia oferecido a Marega o último golo (3-0). A partir daí, porém, só alinhou 24 minutos na receção ao Portimonense, entrando quando o vencedor estava mais do que encontrado.

O estatuto atual de Soares é consequência da infelicidade que sofreu na jornada inaugural. Entusiasmado com as exibições realizadas na pré-temporada e a produtividade da dupla que vinha formando com Aboubakar, o brasileiro esforçou-se por recuperar de uma lesão muscular a tempo de defrontar o Estoril e acabou por sofrer uma recaída. Perdeu três jornadas e, durante este período, viu Marega roubar-lhe o lugar com um conjunto de exibições que levam Sérgio Conceição a não abdicar dele. Tiquinho regressou com vontade de disputar o lugar, realizando uma assistência e um golo frente ao Chaves, mas o rendimento abaixo das expectativas na receção ao Besiktas estragou tudo. O desafio com o Lusitano de Évora pode, por isso, fazer maravilhas a ambos, ainda por cima numa fase em que o calendário vai ficar cada vez mais intenso para os dragões.

Fonte: ojogo.pt