Irmãos Djim: TAS dá razão ao FC Porto no diferendo com o Standard

Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão ao FC Porto no diferendo que o clube azul e branco mantinha com o Standard Liège a propósito dos direitos de formação dos irmãos Djim.

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão ao FC Porto no diferendo que o clube azul e branco mantinha com o Standard Liège a propósito dos direitos de formação dos irmãos Djim. O clube belga reclamava 400 mil euros pelos direitos de formação dos jogadores Tony e Celéstin Djim.

O Standard de Liège apresentou, em Novembro de 2015, uma queixa contra a FC Porto SAD, na qual defendia que lhe é devida a quantia de 160 mil euros pela formação de Tony Djim e 270 mil euros pela formação de Celestin Djim. A 25 de Fevereiro de 2016, a FIFA deu razão total ao FC Porto, entendendo nada ser devido ao clube belga por não ter cumprido com determinadas exigências regulamentares da FIFA. O Standard entendeu recorrer e foi isso que fez.

Pierre Locht, diretor jurídico do Standard, defendeu na audiência em Lausana, Suíça, que o clube mostrou interesse em manter o duo antes da proposta feira pelo FC Porto. O TAS, todavia, não considerou provado que as referidas propostas tenham sido recebidos pelos irmãos. Considera, isso sim, que a alegada proposta teria sido feita apenas com o objetivo de receber a compensação pela formação dos jogadores, conduta que contraria os regulamentos da FIFA. O Standard foi, ainda, condenado a pagar 10 mil francos suíços (pouco mais de 9 mil euros) ao FC Porto pelas custas do processo.

Célestin Djim, 22 anos, joga agora no Roda, da Holanda, enquanto Tony, 20, alinha na equipa B dos Dragões.

Fonte: ojogo.pt