Folha: «Queremos fazer o que nos compete, que é ganhar»

Treinador do FC Porto B perspetivou dificuldades na deslocação a Oliveira de Azeméis, da sexta jornada da Ledman LigaPro.

É com uma deslocação a Oliveira de Azeméis, para jogar frente à Oliveirense, que o FC Porto B regressa à competição na Ledman LigaPro, depois de uma paragem de duas semanas devido aos compromissos internacionais. No sábado (11h15, Sport TV), a equipa de António Folha joga no Estádio Carlos Osório frente a uma formação que leva uma série de quatro jogos sem vencer (dois empates e duas derrotas nos últimos quatro jogos), algo que, segundo o técnico, não torna o jogo dos Dragões teoricamente mais fácil. Pelo contrário, Folha defende que nesta Segunda Liga não há jogos fáceis e que no sábado não espera outra coisa que não seja “um jogo dificílimo”. Ainda assim, o objetivo dos Dragões é fazer o que lhes compete, ou seja, ganhar.

O jogo frente à Oliveirense
“Como sempre espero um jogo dificílimo. Neste campeonato não há jogos fáceis e estamos conscientes disso. Por isso, temos que estar sempre alerta para fazer o que nos compete, que é ganhar.”

O período da equipa adversária
“Eles não ganham há quatro jogos, mas ainda neste último teviram uma reação fantástica e depois de estarem a perder 2-0 ainda conseguiram empatar. Vamos encontrar uma equipa que joga em sua casa e que vai tentar fazer deste um ponto positivo. Estamos atentos a isso, sabemos as qualidades deles, mas o que costumo dizer é que temos que nos importar mais com aquilo que nós podemos fazer do que com aquilo que o adversário pode fazer:”

A paragem no campeonato
“A paragem é positiva e negativa. É óbvio que nestas paragens os treinadores gostariam de ter cá todos os jogadores, porque quando se tem muitos nas seleções fica-se com a sensação de que eles vão perder alguma coisa do que fomos trabalhando. Depois porque nos chegam muito em cima dos jogos e parece que não dá para prepará-los. Mas pelo contrário, para os outros que ficam, há muito tempo, o que lhes permite ter tranquilidade e acreditar no que fazemos.”

Fonte: fcporto.pt