Get a site

FC Porto lembra Hulk e atira: “Uma das maiores injustiças da história do desporto nacional”

Há dez anos, o avançado brasileiro voltou a poder jogar nas provas nacionais depois de cumprir castigo de quatro meses.

Cumprem-se este sábado dez anos desde que Hulk voltou a poder jogar nas competições nacionais depois do castigo de quatro meses que lhe foi aplicado – e de seis meses a Sapunaru – na sequência dos incidentes do túnel da Luz, após um Benfica-FC Porto.

A 24 de março de 2010, três meses depois, o Conselho de Justiça da Federação reduziu a pena para três jogos, permitindo que voltasse na 24.ª jornada. E fê-lo em grande com um golaço na deslocação ao terreno do Belenenses. Nessa altura, o Incrível já tinha falhado 18 jogos das provas internas. Isto porque o castigo não abrangia as provas europeias e o brasileiro foi utilizado por Jesualdo Ferreira nos oitavos de final da Champions, frente ao Arsenal. “Estou convencido ainda hoje que se não fosse esse caso teríamos sido campeões”, disse um dia Jesualdo Ferreira a propósito desse castigo.

Ora, este sábado, o FC Porto recordou o caso através da newsletter “Dragões Diário”. “Faz hoje dez anos que terminou uma das maiores injustiças da história do desporto nacional. Neste dia, há uma década, Givanildo Vieira de Souza regressava aos relvados após cumprir uma suspensão que o fizera falhar 17(!) jogos. Após os incidentes no túnel da luz, em dezembro, a Comissão Disciplinar da Liga castigou Hulk e o brasileiro esteve mais de três meses impedido de jogar futebol. Entretanto, a suspensão ditada por Ricardo Costa viria a ser reduzida pelo Conselho de Justiça para quatro jogos… menos treze do que o craque já havia cumprido”, lembra o emblema azul e branco.

Fonte: ojogo.pt