FC Porto com ajuda para explorar o ponto fraco do Besiktas

Quaresma, Hutchinson, Talisca, Pepe e Ozyakup são as referências, mas para os três portugueses, que jogam na Turquia, o FC Porto é superior. Jogar com dois pontas de lança pode ser decisivo.

Miguel Lopes, Castro e Hélder Barbosa têm duas coisas em comum: jogaram no FC Porto e estão há alguns anos na Turquia. Por isso, O Jogo pediu-lhes para traçarem o perfil do primeiro adversário dos dragões na Liga dos Campeões, o Besiktas.

Sem surpresa, Quaresma é apontado como a figura maior da equipa, mas há outros nomes a ter em atenção: Hutchinson, Ozyakup, Pepe e Talisca. E os três concordam que mesmo com a chegada do internacional português, ex-Real Madrid, o sector defensivo continua a ser o mais débil. Sobretudo pelo lado esquerdo. “À direita têm o Adriano e o Pepe e aí melhoraram bastante; do outro lado, com o Tosic e o Caner Erkin, são mais fracos e o FC Porto pode e deve explorar por aí. O Tosic é um pouco precipitado no passe e dá espaço nas costas; o Caner Erkin até ataca bem, mas depois é lento a recuperar e defende mal”, explica-nos Miguel Lopes, defesa que está a iniciar a segunda época no Akhisar.

O avançado Hélder Barbosa só chegou agora ao mesmo clube e considera que “a chegada do Pepe, uma figura muito importante, trouxe maior estabilidade e segurança”, mas, mesmo assim, aponta o FC Porto como favorito para o jogo de amanhã. “Está muito forte e é superior”, frisa.

O médio Castro já vai para a quinta temporada na Turquia e aponta o caminho para a vitória. “O FC Porto pode explorar muito bem o facto de estar a jogar com dois pontas de lança, porque na Turquia praticamente nenhuma equipa joga dessa forma e eles não estão habituados a defender contra um sistema desses. Isso pode ser decisivo”, considera.

Por outro lado, há que ter especiais cuidados com os homens do meio-campo para a frente. “O Quaresma mete 70 por cento dos cruzamentos para a área. O Negredo tem sido uma referência, mas não sei se jogará no Dragão. Mas quer ele quer o Tosun podem beneficiar dessas bolas. E o Talisca participa em quase todas as jogadas”, alerta Hélder Barbosa.

Fonte: ojogo.pt