Get a site

«Dependemos de nós para dar o melhor para vencer os cinco jogos»

by:

Futebol

Sérgio Conceição falou sobre o FC Porto-Santa Clara da 30.ª jornada da Liga NOS (sábado, 20h30).

O FC Porto volta a centrar atenções na Liga NOS e a 30.ª jornada reserva uma receção ao Santa Clara, agenda para este sábado (20h30, Sport TV), no Estádio do Dragão. No momento de projetar o encontro, Sérgio Conceição relembrou a Liga dos Campeões fantástica que os Dragões fizeram e garantiu uma equipa focada em vencer todos os jogos que faltam no campeonato. À entrada para esta ronda, os campeões nacionais somam os mesmos 72 pontos que o Benfica, mas os lisboetas têm vantagem no confronto direto.

Recomeços constantes
“O futebol é um recomeçar constante. Acabámos um jogo e começámos rapidamente a pensar no jogo seguinte. Mudámos imediatamente o chip na nossa cabeça e começámos a pensar no que serão as dificuldades do próximo jogo e o que teremos de fazer para as ultrapassar. O trabalho e a preparação são os mesmos. Estamos perto do fim e sabemos que os jogos ganham um peso e uma dimensão diferente. Jogámos na quarta-feira e vamos jogar amanhã. É preciso haver melhores condições para representarmos o nosso país da melhor maneira na Europa.”

Equilíbrio emocional
“O equilíbrio que tivemos no jogo com o Liverpool é o mesmo equilíbrio emocional que temos de ter agora. Todos os jogos ganham um peso e uma dimensão diferente. Relativamente à Liga dos Campeões, é importante perceber o percurso fantástico que tivemos e tudo o que fizemos de bom. Os desfechos dos dois jogos contra o Liverpool foram cruéis. Sofremos demasiados golos para o que merecíamos e fizemos menos golos do que devíamos e podíamos ter feito. Isso não apaga um trajeto interessante, feliz e que deu esperança em que pudéssemos chegar a uma fase adiantada da Liga dos Campeões. Todos acreditámos que podíamos chegar às meias-finais. Esse sonho acabou, mas o nosso principal objetivo é o campeonato. Temos consciência de que não dependemos de nós, mas dependemos de nós para dar o melhor para vencer os cinco jogos que faltam.”

Todos os jogos são como finais
“As equipas que lutam por todos os títulos encaram todos os jogos como finais, mas nesta fase final os jogos ganham um peso diferente pois a margem de erro é mais curta. O fim já se avista e torna-se mais difícil recuperar. Isso não faz com que haja pressão acrescida. A pressão é ganhar o jogo. Temos um adversário completamente tranquilo e muito organizado. O João Henriques está a fazer um bom trabalho. O Santa Clara é uma equipa muito consistente, bem trabalhada e organizada. Além disso, há a motivação de jogar contra um grande. Temos um jogador que jogava no Santa Clara e que o FC Porto foi buscar pelas exibições que fez lá, que é o Fernando Andrade.”

O desabafo de Otávio após o FC Porto-Liverpool
“Falei com ele às duas da manhã pois senti-me na obrigação de lhe telefonar, mas não precisa de dizer em público que cometeu um erro. Eu também não o faço. Nisso, o balneário é muito forte. Foi mais um desabado do que outra coisa. Aqui, quando há um erro, é assumido pela equipa. Os sucessos e os insucessos são de toda a equipa. Somos um grupo unido e forte. Essa é uma mais-valia que temos desde que cheguei.”

Marega
“O Marega, em determinados momentos do jogo, é o jogador mais forte que já treinei. É fantástico na entrega ao jogo e na capacidade de se movimentar sem bola. Fez uma Liga dos Campeões fantástica e marcou seis golos em jogos consecutivos. Há muitas coisas boas que podemos ir buscar. Não foi o Marega que falhou contra o Liverpool, foi a equipa.”

Jogar antes ou depois dos rivais
“Perseverança e resiliência estão sempre no nosso dicionário e no nosso trabalho. Temos de tentar ganhar todos os jogos, sejam antes ou depois dos nossos rivais. A pressão é sempre a mesma e não flutuamos consoante os resultados dos nossos rivais. Temos é de fazer o nosso trabalho. Estamos conscientes de que há 15 pontos em disputa e para conquistar. Os três mais importantes são os de amanhã.”

Fonte: fcporto.pt

Comments are closed.